O artista no Ateliê 

   Logo que retornou ao Brasil,em 1931, Lelio montou seu ateliê na Marmoraria Irmãos Coluccini em Campinas, Estado de São Paulo. Pouco tempo depois o artista fez uma exposição, na vitrine da Casa Genoud de Campinas com seus trabalhos: busto do capitalista de Limeira Dr. Trajano Bento, Medalhão do Sr. Luiz de Túlio e um estudo em crayon de um Cristo.


  Lelio teve de 1967 até 1976, quando ficou doente, seu ateliê de trabalho no edifício Progresso da avenida Francisco Glicério, na época, a principal avenida da cidade de Campinas-SP.

   Mas para executar esculturas de grande porte, ele utilizava o ateliê que tinha no quintal de sua casa.

   Durante a semana, sempre vestido de terno e gravata, Lelio tinha o hábito de almoçar com os amigos no Giovannetti e tomar café no Café Regina, locais de ponto de encontro de artistas e intelectuais de Campinas.

   Despreocupado, o artista levava a vida apenas para suas esculturas. Até nos finais de semana entrava no estúdio de sua casa e fazia da escultura seu hobby.

   Muito crítico em relação às suas obras, o escultor estava sempre atualizando-se do que acontecia na Europa, por intermédio de livros trazidos da Itália, por seus amigos.

   O artista tinha muitos amigos. A maioria deles ligados a algum tipo de atividade artística.
   

www.000webhost.com