Os Amigos do Escultor


O pintor Aldo Cardarelli

"Em Lelio Coluccini, como homem e como sonhador, destaco o aprumo de caráter e a verticalidade de consciência. E destaco o artista devotado à intangibilidade de sua arte como o brilho da inteligência aliado aos sentimentos nobres do coração.
É um gênio que possui, acima de tudo, as virtudes santas da humildade luminosa. Um palimuro da escultura deste tempo que merecerá o respeito e a admiração das gerações de todos os tempos.
Deixo pois, aqui, a Lelio Coluccini não somente a minha alma de admirador, mas, sobretudo a minha alma de irmão."
                                        
Aldo Cardarelli




A Família Kauffman

Boris Kauffman, filho de imigrantes europeus, tinha seu estúdio fotográfico na cidade de Santos desde 1936.
Aproveitava suas visitas à Campinas para fotografar as últimas produções artísticas do amigo Coluccini.

 
As Famílias Kauffman e Coluccini

 

Depoimentos de Amigos e Admiradores do Artista

"Reconheço em Lelio Coluccini, aquele artista latino de criatividade exuberante, extremamente sensível e sobretudo um grande amigo. De gestos rápidos ao ilustrar idéias inteligentes, cria em torno de si uma grande roda de amigos artistas e intelectuais."
Geraldo Mayer Jürgensen

"É fácil, muito fácil encontrar o homem Lelio na força comunicativa que se exprime na economia de linhas, com que o escultor, num simples traço, revela a sua emoção criativa.
Quem procurar conhecer a obra e a personalidade de Lelio Coluccini, constatará surpreso que este magnífico artista ainda está por ser descoberto. Ele é a um tempo, humilde, tenaz e ardente. Seu domínio das formas como das emoções encontra no infinito suas raízes e seus vínculos. É a do artesão, o elemento fundamental de sua personalidade; como artista e como homem põe sempre o coração apaixonado de franciscano nas suas obras e ações. Campinas lhe é devedora de um reconhecimento maternal."
Manoel Affonso Ferreira Filho

"Não desfruto com muita assiduidade do companheirismo do Lelio Coluccini. Encontro raramente com ele, guardo comigo a sua personalidade cheia de vida e entusiasmo. Um aceno de mão do Lelio, mesmo de longe, corresponde sempre a um abraço afetuoso, quando não acompanha uma simpática indagação do que eu faço ou esteja fazendo de pintura. Inversamente, se indagado, passa a explicar com prazer o seu trabalho de escultura.
Há muitos anos, Lelio foi membro de júri de um salão de artes plásticas, em que ganhei o prêmio maior. Do seu generoso comentário sobre a obra de um neófito e tímido artista, me ficam outras tantas convicções mais profundas da arte."
Mário Bueno

"Cada gota que cai sobre Campinas deveria conter dentro dela, um poema à Lelio Coluccini. Sua sensibilidade, mesmo impossível de descrever, dá forma a sua mais nobre escultura, cuja argamassa pelo toque de magia de seus dedos de artista, se transforma na beleza que emociona, Lelio recebe de Deus o poder de representar a arte."
Danglares Gomes

"A obra de Lelio Coluccini é sempre o resultado do seu sensível método criativo. Com uma técnica bastante delicada e baseada numa sincera dominação dos elementos figurativos, cria motivos plásticos de rara beleza."
Thomaz Perina

"Se somarmos a genialidade, a honestidade, a perseverança e principalmente a modéstia em uma só figura humana, teremos traçado o perfil de Lelio Coluccini.
Aqueles que conhecem bem a sua esfuziante personalidade e a espiritualidade de suas esculturas, conhecem bem o grande artista que é Lelio Coluccini."
Lamartine Duarte Fernandes de Souza

"Homenagem das mais significativas que a cidade presta ao seu escultor maior. Conhecemo-nos desde moços, portanto há muito, nunca deixando de admirá-lo como amigo, homem e artista consumado.
As peças que ilustram esta mostra refletem a dimensão de sua produção, enriquecendo e embelezando nossa cidade com seus monumentos, túmulos e coleções particulares que revelam a força e a diversidade de seu poder criativo. Trabalhador e pesquisador infatigável em todos os materiais usados, há segurança do modelado aliada ao vigor, a graça, a elegância de acordo com o assunto tratado. Sempre o artista inspirado do clássico ao moderno, pureza das linhas, harmonia das formas, identificação estilística à inquietante procura da inatingível perfeição. E nessa torturante profissão consumiu a sua vida, agora esmagada pelo peso de um sagrado ideal. Devo muito, muitíssimo ao mestre Coluccini, dele recebi os primeiros ensinamentos e estímulos para a nobre e difícil arte a que se consagrou. Ao lado de sua terra de origem erguem-se importantes montanhas do mais puro mármore de Carrara onde sonhou um dia, Michelangelo na sua terribilita esculpí-la, em últimos dos escultores dos escultores dilatantes, desejaria também tomar o escarpelo não para esculpir evidentemente, mas para gravar o seu nome e abaixo dele o meu muito obrigado, por mim e por Campinas."
José de Angelis


"De 1926, data que marca seu aparecimento público através de um prêmio na Itália, até meados da década de 70, quando sua frágil saúde o impediu definitivamente de continuar seu trabalho, Lelio Coluccini produziu metade de um século de esculturas espalhadas por todo país, cuja identificação e documentação na sua maioria ainda está por se fazer.
Por força das dificuldades que se apresentaram, acentuadas ainda pelas características próprias de tal aventura, esta exposição não poderia ser chamada de retrospectiva.
Ela representa uma homenagem embora tardia, ao escultor mais importante de Campinas, fornecendo também subsídios para uma análise mais aprofundada de sua obra na medida em que uma grande quantidade de peças pertencentes a colecionadores estarão reunidas.
Último dos remanescentes da geração dos assim chamados escultores de encomenda, onde o metier e o apuro técnico eram ponto de honra, Coluccini não freqüentou as galerias de arte em seus obscuros e quase sempre intangíveis corredores para a fama, na árdua tarefa de atender aos numerosos pedidos de bustos, túmulos e monumentos, atividade quase sempre castradora, é que, arregaçando as mangas sobre a alva sedução dos carraras, do bronze eterno e das terracotas, Coluccini mostrara as qualidades essenciais, dele homem, sempre integradas em sua obra: a delicadeza e a turbulência.
É no monumento diante do Museu de Arte Contemporânea e escolhido para ilustrar este catálogo, que ele evidenciara melhor estes elementos, a um só tempo contrapostos e complementares. Se não a sua melhor obra, ao menos para nós a mais significativa. Esta lá perpetrado no bronze um libelo contra a desumanização das grandes cidades, que pela radicalização de suas contradições, expulsa de seu convívio suas próprias Andorinhas."
J. R. Hofling

www.000webhost.com